O
Corpo
Negro

O projeto Sesc EntreDança tem como elemento central as relações entre a dança e outras linguagens artísticas e expressões de natureza cultural humanas, a partir das singularidades e potências dos corpos. Dentro do projeto, a cena é um dispositivo para debater questões e atravessamentos presentes na sociedade que extrapolem o campo da arte, e que tenham nele um ponto de inflexão e subjetivação.

A ação incentiva a formação do olhar do indivíduo para os corpos de maneira ampla, entendendo os mesmos como possibilidades de subjetivação da realidade, e dando visibilidade a questões que neles se imbricam, como a reformulação das suas identidades, seus tabus, suas políticas e seus usos.

O projeto visa aproximar diversos públicos da linguagem por meio de apresentações, ações formativas, intercâmbios, abertura de processos, e interlocução das escolas de formação do profissional da dança e seus professores, dentre outras. O projeto também atua diretamente no fomento à produção e difusão da dança na cidade do Rio de Janeiro, com extensão a outros municípios do estado.

A ação foi indicada por dois anos consecutivos na categoria especial do Prêmio Cesgranrio de Dança, em 2018 pela Coordenação do Projeto, e em 2019 pela Curadoria da programação, em parceria com a artista convidada Carmen Luz. Este reconhecimento se estende às atividades realizadas em sua grade, com indicações e premiações de diversos bailarinos, coreógrafos e obras que integram a sua programação.

Objetivos centrais do projeto

Promover a pesquisa de linguagem da dança para o desenvolvimento das diversas competências em suas áreas criativas, aproximando diferentes agentes culturais do setor: profissionais, público em geral, professores e estudantes (nos âmbitos básico, médio e superior);

Estabelecer territórios de trocas e produção de redes nacionais, por meio de intercâmbios técnicos entre artistas, e da difusão de obras de todo o país dentro da programação;

Garantir o acesso ao bem cultural em todo o estado, oferecendo produções de todo o país em diversas unidades do Estado do Rio de Janeiro, espaços públicos, escolas, dentre outros locais de realização;

Incentivar os laços de identificação das comunidades com a produção cultural em dança, fortalecendo o reconhecimento e participação de todos na produção da vida cultural e dos seus modos de fazer, criar e viver;

Fomentar e difundir a produção de artistas negros na dança, perpassando por diferentes gêneros, práticas e abordagens estéticas em suas múltiplas narrativas, visando atuar na desconstrução de visões estereotipadas sobre os seus fazeres.

Artigos